Aparato do Entretenimento: Palhaço Assassino

style='border:none;overflow:hidden;width:339px;height:200px;'>
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Palhaço Assassino



Por causa de uma série de reportagens intitulada “Os Crimes que abalaram o Mundo”. Foi falado do caso de um Palhaço norte americano (Jonh Wayne Gacy) que na década de 70, (precisamente em 1972) assassinava crianças, adolescentes e jovens. Ele realmente existiu e quando foi preso, no porão de uma casa em Chicago, Illinois, foram encontrados os restos mortais de vinte e nove pessoas entre nove e vinte e sete anos. Em 1988, Gacy foi condenado a 21 penas de prisão perpétua e 12 condenações capitais.

Documentário sobre o palhaço. Ative as legendas. Créditos vídeo canal do youtube RealCrazyWoman2

Por conta desse caso nos anos 90, houve casos que assombraram São Paulo. Um louco, não se sabe bem quem, usou a história do palhaço. Em Osasco (SP) ele estaria raptando crianças para matá-las e poder vender seus órgãos, aos poucos a fama da lenda aumentou e a estória chegou em toda grande São Paulo. Com tons verídicos e macabros, ele atacava em todo a região, e tinha dois ajudantes, estes pegavam as crianças e colocavam em uma Kombi azul, e só atacava em escolas públicas.
Pessoas juravam ter visto reportagem sobre o fato no então jornalístico folhetinesco “AQUI AGORA”. Realmente o boato foi tão forte que o mesmo jornal, que inicialmente tinha publicado a estória do verdadeiro palhaço assassino, chegou a dar algumas capas para a “Gangue do Palhaço”, uma escola (nome desconhecido), em Mauá chegou a ser “atacada” pelo Palhaço (bom vai saber).
Diz à lenda que uma van parava na frente da escola e um palhaço descia e começava a fazer brincadeiras com as crianças que por lá passavam, e ofereciam doces e brinquedos até que a criança sem poder resistir entrava na van e nunca mais era vista. Ele e sua cúmplice roubavam crianças e vendiam seus órgãos para o mercado negro, e assim ganhavam muito dinheiro.

“A porta se abriu e saiu uma linda bailarina, toda vestida de branco. Uma música começou a tocar e a mulher fez alguns passos bonitos que chamou a atenção do garoto. É claro que o delicioso algodão doce que ela segurava atraiu muito mais a atenção do menino. O garoto abriu um largo sorriso e parou admirado diante da mulher sorridente. Ela se abaixou e lhe ofereceu o doce. Ele aceitou na hora. Afinal, era um menino, e meninos gostam de doces. A música cessou abruptamente, mas ele nem percebeu. Estava ouvindo admirado, a mulher dizer como ele era bonito, inteligente e principalmente “saudável”. Ele não entendeu. Seu interesse era mesmo o doce. O motorista da Kombi saiu do veículo. Era um palhaço. Ele tinha outro algodão doce na mão".

“Este é para seu irmãozinho” disse o palhaço forçando um sorriso.

"O menino sentiu um calafrio percorrer seu corpo. Palhaços geralmente eram criaturas engraçadas – pensava ele – mas havia algo estranho naquele. Era grandalhão, musculoso, meio estranho mesmo. Tinha um aspecto sinistro, aterrador. O garoto teve a impressão de que a criatura com a cara pintada olhava para todos os lados, como se quisesse se certificar de que não havia mais ninguém por perto. O menino se lembrou de que fora advertido pela mãe, de nunca falar, e nem aceitar nada, de estranhos. Mas, mesmo sendo um tanto assustador, aquele era só um palhaço. Tudo bem que não era tão simpático quanto um Ronald Mcdonald , ou carismático como o Bozo, mas ainda assim, era um inocente palhaço.”  

Não confie em qualquer um, cuidado...
Felipédia
      
Gostou? Comente. Não gostou? Comente também. O importante é dar sua opinião.




Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “Palhaço Assassino