Aparato do Entretenimento: "Duna" não será "Star Wars"... que sempre foi "Duna"
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

"Duna" não será "Star Wars"... que sempre foi "Duna"

POEIRA DAS ESTRELAS: "Star Wars" possui similaridades polêmicas com a obra-prima de Frank Herbert. Créditos - Reprodução da Internet

O diretor de fotografia Greig Fraser falou ao site Collider sobre sua transição do universo de Star Wars para "Duna". O futuro filme é baseado na saga homônima de Frank Herbert - à qual Star Wars deve muito de sua existência. 


A atriz Sharon Duncan-Bewster como Liet Kienes em "Duna" (2020). Créditos - Legendary Pictures/Villeneuve Films/Divulgação/Reprodução

Fraser ("Lion: Uma Jornada Para Casa") cuidou do visual de "Rogue One" e "O Mandaloriano" - fenômenos recentes de Star Wars e os melhores produtos da franquia da era pós-Disney. 

Ao site, o diretor de fotografia discorreu sobre ter dado um tratamento diferente a "Duna", apesar das similaridades com Star Wars. Fraser lembra a apontada inspiração de George Lucas na saga:


Foi divertido, pois eu tive que esquecer muito de "Star Wars" enquanto fazia "Duna". Não foi difícil, na verdade. O Denis [Villeneuve, diretor] e eu tivemos uma conversa clara sobre o visual e o clima do filme. (...) Há semelhanças como os desertos. Veja, estou ciente de que o George Lucas se inspirou em Duna. (...) Então tive que tomar cuidado ao trabalhar em ambos ["Duna" e "O Mandaloriano"] sem fazer mais do mesmo.  


Siga o nosso perfil no Instagram
@aparato_entretenimento


Dividido em duas partes, o novo filme adapta e chama a atenção da geração nutella atual para o romance de ficção científica do escritor americano Frank Herbert, publicado em 1965. 

Se H. G. Wells, Jules Verne e Hugo Gernsback são considerados pais da ficção científica, Herbert é responsável por moldá-la como a conhecemos hoje. 


Os atores Francesca Annis (Lady Jessica) e Kyle MacLachlan (Paul Atreides) com Frank Herbert nas gravações de "Duna" (1984). Créditos - Kyle MacLachlan no Twitter

A obra recriou o gênero em sua essência, incorporando intrigas shakespearianas e heroísmo épico, além de substituir tecnologia por emoção humana. Nada de redes ou batalhas cibernéticas: em "Duna", todo mecanismo é analógico ou biológico e o foco é o povo. 



A ausência de tecnologia avançada - restrita a viagens espaciais - não é mera escolha criativa. A inteligência artificial é religiosamente proibida no planeta Arrakis/Duna pelo medo de um possível domínio. 

O romance também explora temas ecológicos (água é dinheiro em Arrakis, de clima hostil), intrigas políticas e misticismo religioso, até então incomuns na ficção científica. 


Os icônicos vermes de areia na arte de John Schoenherr, considerado o ilustrador oficial da saga por Frank Herbert. Créditos - Reprodução da Internet

Até aqui, bem diferente do que George Lucas propôs em "Star Wars Episódio VI: Uma Nova Esperança" - ou "Guerra nas Estrelas" à época de sua estreia. Entretanto, o Duniverso (como o universo é referido) é uma inspiração não muito citada por Lucas na concepção de Star Wars. 

O mestre já mencionou Flash Gordon, os filmes de Akira Kurosawa e a lenda do Rei Arthur como algumas de suas referências. Porém, não fala com a mesma frequência sobre as semelhanças com "Duna", a HQ francesa "Valérian: Agente Espaço-Temporal" e até os Novos Deuses da DC






Contudo, Frank Herbert as viu, quando "Star Wars" estreou em 1977. A um jornal do Oregon, cujos desertos o inspiraram a escrever a saga, o autor afirmou que o filme utilizou elementos de "Duna" sem o seu consentimento:


Estou tentando ao máximo não processá-lo. (...) Se ele pegou coisas de "Duna", o que não contesto, e aí outra pessoa vier e fizer o mesmo, poderá se defender tranquilamente. Argumentará "você nem contatou o [George] Lucas" e vencerá. 

O autor teria identificado nada mais, nada menos que 37 referências diretas a sua obra em "Guerra nas Estrelas". O filho Brian Herbert afirma, na biografia do pai, que Frank Herbert enxergou uma "identidade absoluta" entre "Duna" e "Star Wars". O autor não foi o único. 

De maneira bem-humorada, Herbert e outros escritores (que também perceberam similaridades com suas obras) acabaram fundando o grupo "We're Too Big to Sue George Lucas" ("Somos Grandes Demais para Processar George Lucas"). 

Leia também




As semelhanças entre "Star Wars" e "Duna" chamam tanta atenção quanto a suposta coincidência mórbida entre a Patrulha do Destino e os X-Men, indo muito além de paisagens desérticas. 

[ATENÇÃO: POSSÍVEIS SPOILERS PARA "DUNA" A SEGUIR!]

A começar, nesse cenário ocorre o incidente incitante nas tramas das duas sagas, onde ambos Luke Skywalker (em Tatooine) e Paul Atreides (em Arrakis) são convocados ao destino. Ademais, os dois heróis possuem nomes bíblicos e utilizam binóculos para espiar povos do deserto - os Incursores Tusken no caso de Luke, e os nômades Fremen no caso de Paul. 

Os destino dos dois é determinado por uma antiga profecia de seus respectivos universos - Luke como o Escolhido para derrotar os Sith e Paul como um líder para os Fremen.


Luke em Tatooine e Paul em Arrakis. Créditos - Reprodução da Internet


Ao longo da saga, Paul Atreides se torna pai de gêmeos psíquica e espiritualmente ligados um ao outro, Leto e Ghanima - tal qual Luke e Leia. 

Em "Star Wars", os dois herdam a forte ligação com a Força do pai Anakin Skywalker/Darth Vader. De maneira similar, os gêmeos Leto e Ghanima herdam a presciência do pai, nascendo super dotados. 


Luke e Leia versus os gêmeos Atreides, Leto II (James McAvoy) e Ghanima (Jessica Brooks), na minissérie "Filhos de Duna" (2003). Créditos - Reprodução da Internet

Criaturas símbolo do Duniverso, os gigantescos vermes de areia que infestam o planeta Arrakis parecem ter sido referenciados no subterrâneo Sarlacc em "O Retorno de Jedi". Curiosamente, o game "Jedi Knights: Jedi Academy" traz uma referência mais direta aos vermes: os escavadores do planeta Benjeel.



O verme de areia, símbolo da saga "Duna", versus o Sarlacc em "O Retorno de Jedi". Créditos - Reprodução da Internet

"O Retorno de Jedi" também marcou a primeira aparição do gângster Jabba, o Hutt - quase uma paródia do Imperador Deus de Duna, uma deidade híbrida de humano com verme de areia em Arrakis. 


Conceito de Leto II Atreides como o Imperador Deus de Duna, na arte de Joe Tuscany, versus Jabba, o Hutt. Créditos - Reprodução da Internet

Um ponto central de "Duna" não poderia ter sido esquecido por George Lucas. No Duniverso, o planeta Arrakis é a única fonte da erva melange, ou "a especiaria". A droga poderosa, capaz de prolongar a vida e conceber dons precognitivos, é sinônimo de luxo e ambição: controlá-la significa controlar o universo.

A melange é utilizada para aprimorar a percepção de pilotos da Corporação Espacial em suas viagens interestelares. A erva é extraída de minas em Arrakis e sua falta implica o colapso da comunicação e do transporte do Império dominante da galáxia em "Duna". 


DEIXA FLUIR: Olhos azulados são efeito da melange em "Duna". Créditos - Reprodução da Internet

Logo no início de "Guerra nas Estrelas", C3PO menciona as *minas de especiaria de Kessel* - um dos locais de extração de um narcótico famoso na galáxia, que pôde ser visto no filme "Solo: Uma História Star Wars" e no game "Battlefront II". 

A especiaria de Star Wars é o motivo de dívida de Han Solo com Jabba e tinha muito mais importância no roteiro original de "Guerra": ao invés dos planos da Estrela da Morte, a princesa Leia protegeria um recipiente de "especiaria de aura". 

Em meio a tantas referências a "Duna" em "Star Wars", repetir o termo "especiaria" ("spice", no original em inglês) soa quase um descaramento, vide que a nomenclatura de Star Wars é marcada por termos diferentes e originais.


BAGULHO: A droga melange em "Duna" (1984) e as minas de Kessel em "Star Wars Battlefront II". Créditos - Reprodução da Internet

As duas sagas retratam galáxias dominadas por impérios - o um imperador Sith em Star Wars e o imperador Pardishah em "Duna". 

Como "Game of Thrones", o Duniverso é marcado por conflitos entre nobrezas. A ideia original de George Lucas era seguir exatamente essa linha, antes de decidir focar apenas na luta da República contra o Império. De fato, os primeiros rascunhos de "Guerra nas Estrelas" tinham muito mais em comum com "Duna" que a versão final.


A GUERRA DOS TRONOS NAS ESTRELAS: O imperador Sith Palpatine em "Star Wars" versus o imperador Pardishah Shaddam IV em "Duna" (1984). Créditos - Reprodução da Internet

No Duniverso, as misteriosas Bene Gesserit compõem uma ordem lutadoras habilidosas, capazes de controlar pessoas através de um poder conhecido como a Voz. Essa habilidade é adquirida através de treinamento intenso - seria qualquer semelhança com a Força uma mera coincidência? 

Usuários da Força, os Jedi eram conhecidos como Jedi-Bendu na primeira versão do roteiro de "Star Wars". Décadas mais tarde, o desenho "Rebels" adotou o termo ao introduzir a ordem de Dai Bendu. Em "Duna", Prana-bindu é a técnica sobrehumana de controle corporal das Bene Gesseritt. 


SPICE GIRLS: As Bene Gesserit no filme de 1984 versus o Mestre Yoda. Irmandade deve ganhar uma série própria. Créditos - Reprodução da Internet

As semelhanças são de querer ver uma luta entre as irmãs e os Jedi mais poderosos de Star Wars. Vale lembrar que as Bene Gesserit ganharão uma série derivada do novo filme "Duna", intitulada "Dune: The Sisterhood" e produzida por Denis Villeneuve.

E as similaridades entre as sagas não param por aqui. Ambas possuem princesas como figuras centrais - Alia ("Duna") e Leia ("Star Wars"). As duas se casam com pilotos habilidosos e considerador garanhões: Duncan Idaho e Han Solo, respectivamente.  

Nos dois universos, objetos automatizados são utilizados para treinamento de luta, veículos de mineração perambulam o deserto e um monopólio de comércio abrange a galáxia: a Federação do Comércio em "Star Wars" e Corporação Espacial em "Duna".


A hilária Corporação Espacial a minissérie "Duna" (2000) e a Federação do Comércio em Star Wars. Créditos - Reprodução da Internet

O novo filme é a segunda adaptação cinematográfica do livro. A primeira versão é de 1984, dirigida pelo onírico David Lynch. A super produção teve uma recepção negativa, considerada um "fracasso total" pelo próprio Lynch. 

No elenco estavam Sting (a música "Desert Rose" seria perfeita para a trilha do filme) e o futuro professor Xavier/almirante Picard, Patrick Stewart.

Entre 2000 e 2003, o canal Sci-Fi (atual SyFy) produziu as minisséries "Duna" e os "Filhos de Duna" - duas das maiores audiências em toda a história do canal e com nomes como James McAvoy e Susan Sarandon no elenco. 

O FILME DE 1984. Há quem diga que existe um filme de "Duna" que deu certo: "Guerra nas Estrelas". Créditos - Dino de Laurentilis Corporation/Universal Studios/Reprodução da Internet


Siga a nossa revista no Flipboard
View my Flipboard Magazine.

A obra de Frank Herbert - que é para a ficção científica o que "O Senhor dos Anéis" é para a fantasia - pode não ter uma legião de fãs ou marcar presença em convenções ao redor do mundo na mesma intensidade que Darth Vader e companhia. Todavia, uma adaptação na visão de um dos cineastas mais aclamados da atualidade é a oportunidade perfeita para o grande público apreciar "Duna".

E o diretor Denis Villeneuve já garantiu - o novo filme será "Star Wars" para adultos, reforçando o apelo mais maduro da saga. 

Com inúmeras similaridades e referências beirando o imitativo, não é exagero afirmar que "Star Wars" sempre foi "Duna"... para crianças.


ESPELHO: Oscar Isaac será Leto Atreides em "Duna" (2020). O ator também viveu o querido Poe Dameron na última trilogia de Star Wars. Créditos - Legendary Pictures/Villeneuve Films/Divulgação/Reprodução











Siga o nosso perfil no Google News


Siga-me no Twitter: @zevirtovsf



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “"Duna" não será "Star Wars"... que sempre foi "Duna"