Aparato do Entretenimento: CRÍTICA: "Bohemian Rhapsody": a história da banda Queen sob a visão de Freddie Mercury
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

CRÍTICA: "Bohemian Rhapsody": a história da banda Queen sob a visão de Freddie Mercury


Rami Malek como Freddie Mercury - Créditos: Divulgação - Entertainment Weekly

Bohemian Rhapsody é um filme americano de drama biográfico que se concentra-se no período de 15 anos, desde a formação da banda "Queen" até o emblemático show Live Aid, seis anos antes da morte de Freddie Mercury.

Créditos: Divulgação - 20th Century Fox

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)


Um dos filmes mais esperados do ano finalmente chegou às telas dos cinemas, "Bohemian Rhapsody" conta a história da banda "Queen" sob a ótica de Freddie Mercury, desde a sua formação, aos primeiros shows até o sucesso arrebatador.

O enredo começa em 1970, com o jovem estudante Farrokh Bulsara alterando seu nome para Freddie Mercury ao ser convidado para se apresentar com uma pequena banda em Londres.

A vida e roupas excêntricas do ídolo também ficam bem aparentes, os dramas pessoais são o fio condutor do filme, que se furta ao explorar o personagem com aquela básica jornada do herói incompreendido, apesar de tudo, a sexualidade do artista é deixada bem clara ao telespectador desde o inicio.

Quando a banda começa fazer sucesso, altera seu nome para "Queen" e logo arrebata as vendas, se tornando uma das mais ouvidas nos Estados Unidos, gerando uma turnê, ocasionando o afastamento de Freddie da família e de Mary Austin, sua companheira ao longo do filme. 


As brigas e divergências começam a ser mostradas de forma gradual, assim como Freddie Mercury compondo os diversos hinos atemporais que escutamos até hoje, dentre eles “Love Of My Life”, "We Will Rock You" e “Bohemian Rhapsody”, que da título ao filme.


Rami Malek optou por dublar as performances musicais, o que é totalmente compreensível, afinal dificilmente alcançaria a voz única de Mercury. O ator foca mais no físico e peca na intensidade, um show como o Live Aid necessitava uma coisa mais sutil.



Remontagem do show Live Aid - Créditos: Glorious Weirdo

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)


Uma ótima técnica utilizada pelos produtores foi legendar algumas musicas, para o público poder cantar junto com a banda, técnica bem eficaz, pois, não tem como não querer cantar junto com eles. 

A intenção do filme é apresentar a banda e Freddie Mercury pra o público novo, que ainda não os conhecia e deu certo. O longa metragem conseguiu alavancar as músicas do grupo nas principais paradas de sucesso. 

Nos cinemas americanos, o filme já se consolidou como um grande sucesso de bilheteria, conquistando o posto de segunda maior estreia no gênero de cinebiografias musicais, ficando apenas atrás de "Straight Outta Compton: A História do N.W.A". 

O erro mais grave do filme foi a maneira como mostraram o diagnóstico do HIV do artista. "Bohemian Rhapsody" retrata que Freddie descobriu sobre a doença pouco antes do emblemático show Live Aid, quando na verdade, ele provavelmente descobriu sobre sua AIDS após o fantástico show.

“É inexplicavelmente perverso que o filme altere o diagnóstico de HIV de Mercury para ser a motivação da banda para tocar no Live Aid”, escreveu David Ehrlich do IndieWire. 

Parte do comunicado de Freddie Mercury assumindo ser soropositivo:


"Seguindo a enorme comoção da mídia nas últimas duas semanas, eu gostaria de confirmar que fui testado como soropositivo e tenho AIDS. Eu senti que era melhor manter isso privado até agora para proteger a mim e aqueles ao meu redor. No entanto chegou a hora de meus amigos e meus fãs saberem a verdade, e espero que todos se juntem a mim e aos meus médicos na luta contra essa terrível doença. Minha privacidade sempre foi importante para mim e sou famoso por minha falta de entrevistas, por favor, entendam que essa política continuará."


Rami Malek me conquistou logo de cara com a sua interpretação magistral, abusa dos trejeitos e caras e bocas, assim com o Freddie Mercury fazia no palco. Se entregou totalmente ao personagem, sem nenhuma vergonha e restrição. Outra personagem que me agradou bastante foi Mary Austin, interpretada pela ótima Lucy Boynton, ela, apesar dos pesares sempre ficou ao lado do protagonista, não importava a situação, uma verdadeira companheira de vida, a mesma inspirou o cantor a escrever a letra de “Love Of My Life” e herdou toda sua fortuna após sua repentina morte. 

Os demais integrantes da banda também tiveram seu destaque, cada um a sua maneira e personalidade. Gostei bastante também do ator Aaron McCusker, que interpretou Jim Hutton, namorado do cantor, que poderia ter sido melhor explorado.

Rami Malek e Lucy Boynton - Créditos: Glorious Weirdo


Trailer Bohemian Rhapsody

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)
Ficha Técnica


Título original
Bohemian Rhapsody
Elenco
Rami Malek
Freddie Mercury
Vocalista da banda
Lucy Boynton
Mary Austin
Companheira de Mercury ao longo da vida
Ben Hardy
Roger Taylor
Baterista da banda
Gwilym Lee
Brian May
Guitarrista da banda
Joseph Mazzello
John Deacon
Baixista da banda
Allen Leech
Paul Prenter
Gerente pessoal de Mercury
Mike Myers
Ray Foster
Executivo da EMI
Aaron McCusker
Jim Hutton
Namorado de Mercury
Meneka Das
Jer Bulsara
Mãe de Mercury
Ace Bhatti
Bomi Bulsara
Pai de Mercury
Aidan Gillen
John Reid
Primeiro manager do Queen
Tom Hollander
Jim Beach
Segundo manager do Queen
Dermot Murphy
Bob Geldof

Matthew Houston
Larry Mullen Jr
Baterista da banda de rock irlandesa U2
Roteiro
Anthony McCarten
Direção
Bryan Singer e Dexter Fletcher
Direção musical
John Ottman
Produtora
20th Century Fox, New Regency, GK Films, TriBeCa Productions e Queen Films
Duração
2h 14min
Orçamento
52 milhões de dólares
Receita
Ainda em arrecadação
Gênero
Biografia, Musical, Drama

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
Curiosidades

⤳ A trilha sonora do filme já conquistou o terceiro lugar nos rankings, um reconhecimento que a banda já não tinha há 38 anos;


⤳ Lucy Boynton, que interpreta Mary, foi protagonista da série da Netflix, Gypsy, ela interpretou Allison Adams;

⤳ Rami Malek é muito conhecido pelo seu papel em Mr, Robot, onde interpreta Elliot, um dos principais papéis da série e pelo qual o ator levou um Emmy de melhor ator em série dramática em 2016;

⤳ O roteiro é assinado por Anthony McCarten, ganhador do Óscar por "A Teoria de Tudo", filme biográfico sobre o físico Stephen Hawking;

⤳ A princípio o diretor do longa seria Bryan Singer (de "X-Men"), mas ele foi substituído por Dexter Fletcher ("Voando Alto") no meio das filmagens, após discordar de algumas partes criativas e denúncias de abuso sexual que surgiram contra ele;

⤳ Uma réplica exata do Live Aid, festival feito no Estádio de Wembley, foi recriado no Aeroporto Bovingdon perto de Hemel Hempstead na Ingleterra;

⤳ Na pré-produção do filme iniciada em 2010, o ator Sacha Baron Cohen, interpretaria Freddie Mercury, mas por conta de diversas divergências, ele foi cortado em junho de 2013, após vários e vários rumores, finalmente em novembro de 2016, Rami Malek foi confirmado com o rol principal;

⤳ O grande ator Robert de Niro também esteve envolvido neste filme, mas apenas atrás das câmeras, ele foi um dos produtores.


We Will Rock You

---------------------------


E você, curtiu o filme? Conta pra gente! Não se acanhe, deixe seu parecer nos comentários.

---------------------------


Siga-me no Twitter: @LeandroMartyns1 



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “CRÍTICA: "Bohemian Rhapsody": a história da banda Queen sob a visão de Freddie Mercury