Aparato do Entretenimento: Resenha - Ecos da Morte

style='border:none;overflow:hidden;width:339px;height:200px;'>
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Resenha - Ecos da Morte


Livro: The Body Finder

Tradução para o Brasil: Ecos da Morte
Autor (a): Kimberly Derting
Editora: HarperCollins
Editora responsável pela tradução no Brasil: Intrínseca
Tradutor (a): Rita Sussekind
Páginas: 272     
Edição: 1ª/2011
ISBN: 978-85-8057-080-9
Minha opinião: O que ainda esta esperando, que não adquiriu o seu.
Classificação: ★★★★
Onde comprar:
        Submarino
                         Saraiva
                                     Fnac

Premissa do livro...
“Violet Ambrose tem dois problemas: o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela está cada vez mais desconfortável com sua estranha habilidade. Violet encontra cadáveres. Desde muito pequena, percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos: apenas os das vítimas de assassinato.
Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas quando um serial killer começa a aterrorizar a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas mortas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo, ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela”.

Acredito que você já tenha lido a premissa do livro, então vamos a resenha propriamente dita... De asas a sua imaginação...

Ela não sabe se nasceu com um dom ou uma maldição, mas sua capacidade de ouvir sons e sentir a presença daqueles que já se foram consegue a deixar em estado de pleno torpor. Violet traz consigo esta capacidade desde muito cedo, no começo o “dom” se restringia apenas a alguns animais mortos enterrados na floresta como pássaros e gatos, mas com o passar dos anos sua aptidão se desenvolveu, para desespero dela, acabando por revolucionar sua vida antes pacata.
Lombada
Violet é o tipo de mocinha que ou o leitor simpatiza ou odeia até a morte, suas ações no começo do livro às vezes nos remete a um pensamento até que infantil, chegando até a gerar um pouco de raiva. Porém com o decorrer da estória ela muda sua forma de pensar e agir, optando por não ficar ali parada e sim ir buscar uma solução para os problemas, ela se entrega de corpo e alma a causa, que poderia muito bem ser seu “amigo” Jay Heaton, ou simplesmente tentar fugir de um temido serial killer que aterroriza sua pequena cidade.
Imagem de apresentação
A trama é repleta de ação, suspense, romance e bom humor que fica a cargo da melhor amiga de Violet, Chelsea. A autora domina a escrita dos personagens que apesar de se tratar de uma obra tipicamente juvenil, não desmerece nem um pouco, diálogos bem construídos e falas rápidas, formam um enlace perfeito com a temática do livro.
A capa é uma das melhores já realizadas pela Intrínseca, as páginas são amareladas facilitando a vida de nós leitores, além das abas de boa qualidade.
A série é composta por quatro livros, destes, dois já foram traduzidos enquanto os outros dois, ainda aguardados por muitos leitores, nem tem previsão de lançamento.

Gostou? Comente. Não gostou? Comente também. O importante é deixar sua opinião.


TAG

Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “Resenha - Ecos da Morte