Aparato do Entretenimento: #SinFronteras com Jorge Enrique Abello: “Adoraria conhecer o Brasil, me encantaria conhecer o Rio de Janeiro”
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

#SinFronteras com Jorge Enrique Abello: “Adoraria conhecer o Brasil, me encantaria conhecer o Rio de Janeiro”

Créditos: Arquivo Pessoal


Que os brasileiros tem uma relação de amor com o mundo das produções latinas, não é novidade. E assim a equipe de colunistas do Aparato do Entretenimento está sempre procurando o melhor conteúdo sobre o mundo em ESPAÑOL.

Hoje, nosso convidado é um ator que todo brasileiro que se diz fã de novelas latinas que se preze, tem que conhecer. Seja pelo inesquecível Dr. Armando Mendoza, seu olhar sedutor e suas divertidas aventuras com Mario Calderón, os saltos altos e a doçura de Eva Maria León Jaramillo, viúva de Zuloaga.

Seu sucesso é explicado por seu profissionalismo e preparação. Ator, diretor, escritor, apresentador e CEO. Sem esquecer o seu carisma que todos nós amamos. É claro que nossos queridos leitores já sabem de quem estamos falando. É com muito carinho e satisfação que conversamos com o amado ator colombiano Jorge Enrique Abello.

Seja bem-vindo Jorge Abello e obrigada por seu carinho e atenção conosco.


aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)


Quando teve início sua relação de amor para com as artes cênicas e quem foi sua inspiração para fazer parte do meio artístico?

Meu amor pelas  artes cênicas, começou em tenra idade, eu tinha uma forte dislexia chamada Agnosia Visual. E isso me custou muito trabalho para aprender a ler, escrever, compreender matemática. Por que esse tipo de doença tem uma consequência sobre como você percebe as linhas de tempo, então eu tinha dificuldade em aprender a escrever e a ler e aprender matemática, o que me distanciava de ser um dos melhores alunos na classe. Com isso me tornei um excelente aluno para atividades corporais. Então comecei a aproximar-me aos poucos da atuação, já que em meu colégio haviam disciplinas escolares eletivas, e uma delas era o teatro, onde tive grandes mestres e grandes profissionais que foram minha inspiração para me ajudar a cair de amor por minha profissão. Também tive grandes professores de filosofia e literatura que me ajudaram muito a entender o que gostava, o que queria fazer e minha vida era arte. Pouco depois descobri através do meu professor Giuseppe Ferrara, que também poderia escrever, que poderia ser diretor, e que poderia fazer muitas outras coisas. Mas vamos dizer, o mais importante para mim foi descobrir desde a infância, uma alternativa para a minha dificuldade em aprender outras disciplinas, descobri que era bom com artes, e em escrever, para estar de trás das câmeras, precisa ser bom nisso.


Em quais projetos você está trabalhando atualmente?

Há quatro anos comecei a construir uma empresa, onde criamos séries e conteúdos para a televisão. Estamos com 15 associados entre México, Colômbia e Argentina, pessoas que têm projetos comigo, e durante esses 4 anos nós estamos trabalhando para exibir uma vitrine relevante e assim poder estar com as grandes empresas audiovisuais para negociar e produzir. Também fiz uma série chamada "La Nocturna", que é uma série sobre um professor universitário. Este ano filmaremos a segunda temporada. Também estou na última temporada de "Betty em Teatro" e estamos rodando com uma produção minha, junto com Lorna Cepeda chamada "Tan Galán", além de alguns projetos e filmes que espero que possam ser feitos este ano.


Em "Los Tacones de Eva", qual foi o maior desafio para compor o personagem?

O maior desafio foi um ator único para dar vida a dois personagens diferentes. Dividindo o mesmo corpo de homem e mulher e ambos os lados tinham que ser críveis e verdadeiros, de modo que o espectador não sentisse como se estivesse vendo uma caricatura, e sim em alguns momentos eles pudessem ver uma mulher e em outros eles poderiam ver um homem, na mesma pessoa. Manter dois rostos com dignidade e fortes em tantos capítulos, com uma maquiagem tão pesada e com tantas cenas é muito complexo, então o maior desafio foi esse.


Você viu alguma das adaptações de "Yo Soy Betty, La Fea"? Se você viu, qual foi a sensação de ver seu trabalho sendo reconhecido por outros atores?

Eu realmente só pude ver algumas partes de outras versões, e me alegrei vendo como eles tratavam diferentemente, de como fiz o personagem, o mesmo personagem, mas completamente diferente. Foi muito divertido. 
Créditos da foto: RCN

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)


Você já deve ter ouvido falar da paixão dos brasileiros por novelas latinas. Muitos até preferem as produções em espanhol, do que produções locais. A que você atribui esse carinho especial do nosso país com suas produções?

Eu realmente não sabia. Agradeço profundamente e estou muito surpreso, porque se há algo que amo são as produções brasileiras, acho que elas têm um alto conteúdo, alta qualidade, atores maravilhosos, com literatura espetacular e beleza impressionante. Para mim, as produções brasileiras são uma das mais importantes da América Latina. Então muito obrigado.


Transmissão em mais de 180 países, traduzida em mais de 25 idiomas e quase 30 adaptações. Indiscutivelmente "Yo soy Betty, La Fea" é um dos maiores sucessos da televisão colombiana. Qual o segredo desse sucesso?

Nós realmente acreditamos que Betty é um produto que as pessoas amam muito, porque podem se identificar. Uma pessoa que sofre de rejeição social por ser como é, porque em algum momento de nossa vida nos sentimos tão vulneráveis quanto Betty se sentia, é o que o que pensamos sobre o motivo de tamanho sucesso, mas não podemos afirmar. Betty foi algo mágico desde o texto, a direção, o desempenho de todos que trabalharam nela, e é por isso que foi vendida e adaptada para tantas partes do mundo, como México, Brasil, e continua a ser produzida, agora para os Estados Unidos. É algo que não entendemos, mais que vemos como algo muito lindo pela qual temos um grande carinho.


Alguns atores latinos têm investido em carreiras internacionais, de olho no mercado de novelas, e o Brasil é um dos que mais se destacam. Você já recebeu algum convite para se apresentar em produções brasileiras? Se não, esse interesse existe?

Infelizmente, nunca tive uma oportunidade, uma oferta para trabalhar em uma produção brasileira, mas se tivesse uma oportunidade, aceitaria imediatamente. Tenha certeza disso.

aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase) 
Nós, mulheres, temos um carinho especial por Eva, pelo fato de um homem estar na pele de uma mulher e acabar descobrindo os segredos do mundo feminino. Qual a importância de Eva em sua carreira?

Para mim, a importância de Eva, uma personagem que amo muito, foi a oportunidade de provar de que eu era capaz de fazer qualquer personagem, até mesmo uma mulher, independentemente do tamanho do meu corpo e do meu peso. Então, para mim, foi uma oportunidade para demonstrar minha capacidade de atuação, e dizer para todos e para mim, sim eu posso fazer o que vocês me pedirem. Então essa foi a oportunidade. Por isso tenho um enorme carinho e gratidão por Eva.



Sua carreira é multifacetada. Atuando, escrevendo ou detrás das câmeras criando a magia. Mas qual é aquele que lhe dá mais satisfação?

Realmente, onde me sinto mais realizado é detrás das câmeras, como diretor. Onde sou mais feliz.


"Yo Soy Betty en Teatro" está tendo uma quantidade esgotada de público em todos os países onde passaram. Podemos sonhar em ver essa maravilhosa produção aqui no Brasil?

Espero que sim, eu adoraria conhecer o Brasil, me encantaria conhecer o Rio de Janeiro e Brasília, amo o Brasil, sua cultura, sua música, suas produções. Seu povo. Espero que um dia tenhamos a oportunidade de estar aí, seria um sonho para mim.

Agora um jogo rápido


Um ídolo?
Ídolos  eu tinha quando adolescente, hoje não os tenho, pois entendo que todos os seres humanos são iguais e merecem respeito.
Um sonho que se tornou realidade...
Minha família é o meu sonho realizado.
Canção favorita?
Uma música de um grupo chamado Seru Giran que se chama San Francisco e el Lobo de Charly García e David Lebón.
Lorna Cepeda e Jorge Abello - Tan Galán - Foto: Arquivo Pessoal
aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
Jorge Abello, agradeço sua atenção com nossa equipe, e deixo esse espaço a sua disposição.



De minha parte, posso dizer que além de admirar seu trabalho, eu o respeito como o ser humano que é. Uma pessoa de uma de uma humildade absurda. Então mais uma vez, obrigada, e quero parabenizá-lo pelo incrível ser humano que é Jorge Enrique Abello, que tive a grande honra de conhecer um pouquinho, mas isso foi o suficiente para aumentar ainda mais minha admiração e respeito. O Aparato estará sempre à sua disposição, a casa é sua.

Peço que deixe uma mensagem para nossos leitores e seus fãs aqui no Brasil. Obrigada mais uma vez.


Quero enviar uma saudação muito especial a todos do Brasil, a todos os espectadores que puderam acompanhar meu trabalho através de nossas produções, um abraço enorme com muito carinho e admiração por essa terra tão linda e tão rica culturalmente. Um grande abraço. JEA



Siga Jorge nas redes sociais: Instagram (@jeabello), Twitter: (@jeabello)

Entrevista realizada por: Daniele Moura
Siga-me no Twitter: @dannydemoura 



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “#SinFronteras com Jorge Enrique Abello: “Adoraria conhecer o Brasil, me encantaria conhecer o Rio de Janeiro”