ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

#Crítica: "The Keepers" - Intenso, questionador e fatalmente real, uma ferida na alma

Irmã Cathy Cesnik / Foto: Ilustração: Netflix

Primeiramente, obrigado Ryan White. Sim, muito obrigado por ter agraciado ao público com uma série documental tão visceral e intensa. "The Keepers" é uma fresta de luz, onde não há mais sobrevida, é uma busca incessante por justiça. É o contraponto justo e irrisório entre o dado como tradicional e o insano. Poucas vezes seremos levados a um submundo tão cruel.

"The Keepers" é uma série documental da Netflix que narra o horrendo relato de uma história de terror, INFELIZMENTE baseada em fatos. O documentário mostra o caso do assassinato da freira Cathy Cesnik, cometido em Baltimore, nos EUA, na década de 1970. Os devaneios, a rede de mentiras e a possível correlação da igreja católica com o fato.  


Fantasma da freira que aterroriza um dos investigados pela morte da irmã Cesnik. Divulgação: Netflix

Sem a presença de uma narrativa baseada em anseios católicos ou agnósticos, Ryan White, dirige o show de forma branda, porém intensa, mostra o real. Entrevista envolvidos, apresenta provas e expõe relatos hediondos de indíviduos que viveram o horror, ante e após a morte da irmã Cathy. Didática e instigante.
aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)
Composta por 7 episódios de cerca de uma hora cada, "The Keepers", adentra friamente em nossas mentes ao apresentar o drama da freira Cathy Cesnik, devota de Deus que é liberada pela igreja católica para lecionar na escola Archbishop Keough High School em Baltimore nos Estados Unidos. O suspense começa quando Cesnik é morta, logos após ir fazer compras. Seu corpo é encontrado dois meses após, em inicio de decomposição. A jovem freira, passa então a ser o centro dos questionamentos da imprensa americana. Por qual motivo Cathy foi morta? Ela estava envolvida em algo? 


Joseph Meskell, em primeiro plano. Divulgação: Netflix

Questionamentos estes que resbalam logo no muro frágil da Arquidiocese. Um nome. Joseph Meskell. Padre da mesma escola onde a freira trabalhava, capelão que usava seu nome e poder para fins nada convencionais. 

O seriado documental, dá espaço e voz para as vítimas de abuso na escola Keough, primeiramente por Jane Doe e Jane Row, vítimas que entraram com um processo contra a igreja e ao padre Joseph Meskell. Além deste direcionamento, a série mostra a infeliz relação de Cathy com as irregularidades de Meskell e sua teia de intrigas. Teria ela sido morta por ter se imposto a algo? Cesnik iria denunciar o padre?  
aqui começa o anuncio (coloque cor branca sobre está frase)
aqui termina o anuncio (coloque tinta branca sobre essa frase)
Nebuloso, grotesco e enfático - "The Keepers" - é uma investigação pertinente no meio antes intocável da igreja católica. 




Pedofilia, assassinato, corrupção, preconceito, depressão e medo. São apenas algumas das vertentes apresentadas em "The Keepers". Uma verdadeira obra do jornalismo investigativo que todos devereriam apreciar, seja você, religioso ou não. 

O documentário está disponível no catálogo da Netflix e leva o selo de produção original. Acesse, clicando AQUI


Siga-me no Twitter: @Hiago__Junior 



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “#Crítica: "The Keepers" - Intenso, questionador e fatalmente real, uma ferida na alma