ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

#ControleRemoto: Crítica - Death Note - Netflix


Imagem - Divulgação Netflix

Se você já viu o filme Death Note produzido pela Netflix e é um fã tanto do mangá como do anime, com certeza deve estar sentindo um misto de frustração e tristeza e se perguntando como alguém foi capaz de desconfigurar tanto a sua história, como também os personagens tão bem feitos e marcantes. 



Imagem - Live action japonês

Death Note foi criado pela dupla Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, lançado em 2003, o mangá logo se tornou um grande sucesso e consequentemente ganhou sua versão em anime e alguns live actions no Japão, porém a nova adaptação de 2017 foi transformada em uma trama "teen", me desculpem o exagero, mas é um filme digno da Sessão da Tarde na Globo, isso se não fosse pelo sangue e mortes apresentadas de uma forma exagerada, e aqui aponto mais uma diferença, já que a principal forma usada  por ele eram as mortes provocadas por um ataque cardíaco. 



Toda a essência de Death Note se perdeu nesse filme. A personalidade de cada um dos personagens da trama foram drasticamente modificadas, o Light é um personagem que apesar de aparentar ser um jovem mimado pela família, possui uma personalidade fria, calculista e extremante inteligente e no filme o que vimos foi totalmente oposto, um Light inseguro, com muito mais emoções e sentimentos. O Ryuk, que na obra original é um personagem sempre presente e marcante, praticamente se tornou dispensável no filme, isso sem contar as mudanças nas regras do caderno. 



O 'L" um cara seguro, com um inteligência acima do comum, um estrategista afiado e super centrado, foi apresentado como alguém nervoso, alguém mais caricato e longe de ser aquele mestre nos embates com o Kira, isso sem contar que magicamente ele descobre a identidade do Kira.

Resultado de imagem para death note anime
Anime 
Claro que seria impossível em apenas 1h40min introduzir todos os detalhes de uma obra que tem mais de 37 episódios, mas características importantes foram deixadas de lado, quem ainda não conhece fica sem entender o que está se passando, já que o filme tem um ritmo acelerado. 


Death Note - Netflix 

A proposta da Netflix foi criar uma versão ocidental do Death Note, mas infelizmente a nosso querido serviço por streaming errou e feio nesta adaptação, aliás, ao meu ver apenas criaram uma nova história em cima de um grande sucesso. 



Espero que tenham gostado! Até a próxima

Siga-me no Twitter: @Jonas_HBA 




Dicas, sugestões e críticas é só entrar em contato comigo através do e-mail: 

jonas@aparatodoentretenimento.com.br 



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “#ControleRemoto: Crítica - Death Note - Netflix