Aparato do Entretenimento: Relembrando Sucessos: Quinceañera, duas estrelas em ascensão em um drama juvenil que fez história
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Relembrando Sucessos: Quinceañera, duas estrelas em ascensão em um drama juvenil que fez história


Thalía e Adela Noriega em foto promocional da novela - Créditos: Televisa S.A


Em março de 1986 a produtora Carla Estrada lançou uma novela jovem intitulada de "Pobre Juventud" que foi uma das primeiras tramas da Televisa a abordar o universo da adolescência. O folhetim em si no entanto foi rejeitado pelo público e pela crítica daquele período e passou totalmente em branco.


Leia também


No ano seguinte porém, Estrada decidiu apostar em um novo produto direcionado aos adolescentes e para isso decidiu abordar nessa novela vários assuntos juvenis da época e temas que eram considerados tabus naquele período, tais como a gravidez na adolescência, por exemplo. Nessa obra, Estrada começava sua bem sucedida carreira na Televisa, ao mesmo tempo que colocou de vez as carreiras de Adela Noriega e Thalía em um nível maior. Foi assim que surgiu uma das novelas mais importantes da carreira de Carla e da história da Televisa: "Quinceañera''.



Siga o nosso perfil no Instagram
@aparato_entretenimento


Adela Noriega em foto promocional da novela - Créditos: Televisa S.A


'Quinceañera' segue a história de duas adolescentes prestes a completar quinze anos que vêem suas vidas transformadas por vários acontecimentos. Marilu é uma garota pobre que está apaixonada pelo mecânico Paulo, mas sua mãe a ambiciosa Carmem não permite o namoro. Beatriz é uma menina rica que se sente menosprezada pelos pais, sua mãe a importante advogada Ana Maria não tem tempo para se dedicar à família e seu pai é um sanguessuga que quer comprar a filha com presentes.

A vida de 
Marilu se complica quando o marginal Memê coloca drogas em sua bebida, desmaiada, a garota pensa ter sido violentada. Para Beatriz as coisas também não vão bem, ela se apaixona por Geraldo, irmão de Marilu, um garoto transviado que a engravida e a abandona. A jovem conta com o apoio dos pais que pela primeira vez parecem ligar para ela, entretanto a jovem acaba sofrendo um acidente e perde a criança. 

Desta maneira, a amizade entre as duas criam uma força para que juntas consigam superar por fim seus traumas. E como diz o tema de abertura, agora desperta a mulher que nelas dormia, elas sentem que já não são mais as mesmas, que agora é que começa a aventura da vida.



Thalía em foto promocional da novela - Créditos: Televisa S.A

'Quinceañera' foi um projeto que começou com um certo burburinho, afinal novelas direcionadas para os jovens não era algo comum naquele período. Carla Estrada acertou em cheio na produção, principalmente na escolha do elenco que foi o ponto alto da novela, René Muñoz conduziu o roteiro da novela de forma bastante satisfatória, uma vez que 'Quinceañera' foi uma novela curta e ágil, com personagens bem desenvolvidos. A direção de cena a cargo de Pedro Damián foi bastante satisfatória também. 

O belíssimo tema de abertura interpretado pela banda Timbiriche da qual Thalía fazia parte foi um outro grande acerto do folhetim, já que a tanto a música quanto a abertura são recordados até hoje.

Um dos maiores méritos da novela, no entanto, foi o debate de temas fortes considerados tabus naquela época. O drama do estupro envolvendo Marilu, da gravidez envolvendo Beatriz fizeram de 'Quinceañera' uma novela que veio num instante muito bem apropriado para esse tipo de debate.


Falando em elenco, esse foi sem sombra de dúvida um dos melhores daquele período. No entanto Carla enfrentou alguns obstáculos para conseguir formar o seu elenco ideal, já que a mesma desejou desde o principio que Ernesto Laguardia fosse o protagonista Paulo, algo recusado pela emissora, Estrada por sua vez insistiu até que conseguiu convencer os executivos da Televisa. Ernesto por sinal esteve muito bem na pele de Paulo, um mecânico apaixonado por Marilu, nesse folhetim ele iniciava sua bem sucedida carreira.


Leia também


Os vilões do folhetim foram outro ponto alto da trama. A vilã Leonor interpretada pela ótima atriz Nailea Norvind era detestável, foi uma peça folhetinesca que o público amou odiar. Curiosamente, Nailea chegou perto de não ficar com o papel, uma vez que os executivos se opuseram a sua escalação por ela não ser muito conhecida do público.

Outro que ganhou bastante antipatia do público foi o vilão Memê interpretado pelo ator Sebastián Ligarde. Assim como Leonor que já causava ranço só de aparecer em cena, foi uma atuação bastante satisfatória do ator.


Adela Noriega e Thalía em foto promocional da novela - Créditos: Televisa S.A


Thalía por sua vez havia feito se debut em novelas ao lado de Carla em uma novela anterior intitulada de 'La Pobre Señorita Limantour', que foi um fracasso. Thalía que era oriunda do grupo Timbiriche marcou os telespectadores na pele da abalada Beatriz. Sua personagem abordou assuntos considerados tabus e pode-se afirmar, que esse foi o papel mais distinto e difícil já interpretado por ela. Vale dizer que Thalía não era a primeira opção para Beatriz, mas sim sua 'inimiga' Paulina Rubio, que recusou o papel pelo fato da personagem engravidar no decorrer da trama, e Rubio temia que isso pudesse desprestigiar sua carreira.

Adela Noriega deu vida a protagonista da trama Marilu e mais uma vez Adela emocionou e encantou o público. Você ria e torcia pela felicidade dela ao mesmo tempo que chorava junto, por causa do problema que a cercava, a atriz conduziu Marilu de uma maneira incrível e começou nesse folhetim sua bem sucedida carreira no mundo das novelas. Vale ressaltar que por pouco Adela não esteve no folhetim, uma vez que era para ela ter protagonizado 'Rosa Selvagem', mas a Televisa acabou aproveitando a volta de Verónica Castro a rede e deu a veterana a protagonista do folhetim citado e em troca colocou Adela no papel principal de 'Quinceañera'.

Nos prêmios TvYNovelas de 1988 a novela recebeu nove indicações, ganhando as nove nomeações conquistadas, incluindo a melhor telenovela do ano.


Ernesto Laguardía e Adela Noriega em foto promocional da trama - Créditos: Televisa S.A

Foi transmitida no Brasil, pelo SBT sob o título de 'Quinze Anos', entre 1 de outubro e 2 de dezembro de 1991 em 54 capítulos, sucedendo 'Rosa Selvagem' e sendo substituída por 'Ambição'. Mesmo tendo sido um sucesso e fechado com um média geral de 15,63 em audiência, a novela nunca ganhou uma reprise no canal e viu seus 91 capítulos originais serem condensados em apenas 54. Lamentável!

O sucesso que Thalía estava fazendo no Brasil graças a exibição da trilogia das Marias no SBT, fez com que a CNT adquirisse os direitos de exibição de 'Quinceañera' e a exibiu sob o título de 'Meus Quinze Anos' entre 8 de setembro e 7 de novembro de 1997.

Kuno Becker e Anahí em foto promocional de 'Primeiro amor... a mil por hora' - Créditos: Televisa S.A

Em outubro do ano 2000, Pedro Damián que foi diretor de cena em Quinceañera, produziu uma nova versão da novela que recebeu o nome de 'Primeiro Amor... a Mil por Hora', e foi protagonizada por Anahí, Kuno Becker, Ana Layevska e Valentino Lanus. A novela fez sucesso, embora não tenha marcado tanto o público como 'Quinceañera' e teve seus bastidores rodeados por algumas polêmicas. Mas esse remake é assunto pra outra coluna que logo logo deve pintar por aqui...

Adela Noriega e Thalía em foto promocional da novela - Créditos: Televisa S.A

No geral 'Quinceañera' foi uma novela feita pra fazer história e conseguiu, até hoje continua sendo uma das novelas adolescentes de maior sucesso no mundo, foi uma trama que conseguiu seu objetivo ao abordar assuntos sérios de uma maneira correta e que em nenhum momento tratou os adolescentes que eram telespectadores de maneira boba. O folhetim mostrou a maneira certa de como fazer uma novela juvenil e incentivou o desenvolvimento de novas tramas juvenis não só na Televisa, mas em todo o mundo. Enfim, 'Quinceañera' é um clássico indiscutível.




Siga a nossa revista no Flipboard
View my Flipboard Magazine.



Siga o nosso perfil no Google News




Siga-me no Twitter: @EduardoOAlves2 



Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


0 thoughts on “Relembrando Sucessos: Quinceañera, duas estrelas em ascensão em um drama juvenil que fez história