ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Opinião dos Internautas: Jornal Nacional 45 anos de sucesso e credibilidade


Hoje véspera de primeiro de setembro é aniversário do principal telejornal da TV brasileira, ainda assistido por muitos brasileiros o - "Jornal Nacional". 



O fato de escrever hoje não é apenas pelo aniversário do jornal, mas por ter sido o primeiro a ser transmitido em rede nacional, ou seja, nunca antes a televisão desde sua implantação no Brasil em 1950. Ficou 19 anos com programação regional e noticiário inexistente, só tendo o Repórter ESSO na TV Excelsior e no rádio. Embora a Globo tenha sido inaugurada em 1965, propriamente dita iniciou suas transmissões em 1969 ás 7 e 50 da noite - "No ar, o "Jornal Nacional" a noticia unindo 60 milhões de brasileiros". A primeira notícia foi da doença do presidente Costa e Silva, dada por Hilton Gomes. A partir de então, o AI-5 entrou em vigor no Brasil e muitos naquela época e em tempos posteriores viram o jornal como uma arma favorável ao regime militar. Até hoje a Globo é vista como o porta voz do regime naquela época, porém mais recentemente disse ter sido um engano apoia-lo. 

Voltando a falar do telejornal... Era uma época em que os artistas faziam locuções no rádio pra poderem se destacar na televisão. Quem mais se destacou em 27 anos de jornal foi Cid Moreira, este já havia passado por uma outra rede de televisão, a TV Tupi. Naquela noite em diante sua vida mudou, mal sabia que seriam várias noites saudando aquilo que se tonou a principal saudação de uma televisão: "Boa Noite". Em 1972 após completar 3 anos, Moreira ganhou outro colega de trabalho sendo o mais duradouro e histórico do telejornal: Sérgio Chapelin. Considerado o galã do jornalismo, apresentava simultaneamente o Globo Repórter. As notícias eram dadas sem teleprompter e passavam pela censura federal, com a chegada do teleprompter facilitou a vida dos apresentadores. Eles leem até hoje como se estivessem olhando pro telespectador.

O criador do telejornal foi Armando Nogueira, que ficou no cargo até 1990. Quem também passou pelo jornal foi Léo Batista que além de apresentador esportivo, substituía Moreira aos sábados (até 1996).

Em ano de eleição vamos relembrar o escândalo de 1989. Cid Moreira anunciava o resumo do debate do dia anterior que acabou favorecendo o presidente Fernando Collor este ganhou a eleição e com isso na década de 90 vieram as mudanças politicas e o "Jornal Nacional" sofreu com a falta de credibilidade. Em 1992 foi obrigada a tirar o presidente que elegeu mostrando as denúncias contra ele e que acabou deixando o poder. Itamar Franco assumiu seu lugar.

O "Jornal Nacional" cobriu as principais denúncias de corrupção que assolaram o país a partir de 1993. Durante a década de 70 e 80 devido ao regime militar o telejornal deu prioridade as notícias internacionais e aos esportes. Cid Moreira e Sérgio Chapelin noticiavam sobre política, eixo principal, além de tantas outras importantes, sempre dadas de forma rápida devido ao tempo curto de informação que a TV agrega. 

Em 1996 uma bomba toma conta do programa: Cid Moreira e Chapelin deixam o comando, dando inicio a uma nova era: Willian Bonner se torna o principal apresentador e em 1998 ganha a companhia de sua esposa Fátima Bernardes que ficou a seu lado até 2011. 

Atualmente Patricia Poeta apresenta o principal noticiário da TV, e o fato que comprova que o jornal ainda é querido pelos internautas é que todo ano ganha o Troféu Internet. 

Por hoje é só. Espero que tenham curtido e até a próxima!

Autor do texto@SolanoManoel

Colaboração:






Aparato do Entretenimento

Criado em 2014, o "Aparato do Entretenimento" traz ao seu leitor uma gama versátil de conteúdo. Conta com colunistas especializados em áreas de atuação diferentes, que visam desta forma atender a você querido(a) leitor(a). Além da sua visita, esperamos ser seus amigos e como seremos pode nós dar aquela dica para melhorar, um puxão de orelha, elogiar. Acima de tudo queremos sua participação.


2 thoughts on “Opinião dos Internautas: Jornal Nacional 45 anos de sucesso e credibilidade